Paraná

O prefeito que na pandemia fortaleceu sua popularidade, Greca quer vencer no primeiro turno

O prefeito Rafael Greca (DEM) não esconde o otimismo e trabalha para fazer alianças que garantam sua reeleição ainda no primeiro turno, consolidando a vantagem que as pesquisas eleitorais apontam, desistência de Ney Leprevost amplia suas chances. Na pesquisa estimulada para prefeito, do Instituto Paraná Pesquisas, sem Ney Leprevost, Rafael Greca alcança 43,6% das intenções de voto, seguido de Gustavo Fruet com 12,1% e Delegado Francischini 10,1%. Fruet foi prefeito e não conseguiu se reeleger. A avaliação de sua administração é a mais negativa em toda a série histórica.

Agora, Greca poderá repetir sua chapa e ter como vice Eduardo Pimentel, que tem o aval e o apoio do governador Ratinho Jr. Ou seja, ele ampliou sua base de apoio de forma significativa. Segundo a maioria dos analistas, tornou-se praticamente imbatível. Isso significa que Rafael Greca pode se reeleger no primeiro turno.

É para isso que ele trabalha. Os outros postulantes ao cargo que aparecem na pesquisa são Gustavo Fruet (PDT) e o deputado estadual Delegado Francischini (PSL). Num segundo bloco, com chances muito limitadas, aparecem o deputado federal Luciano Ducci (PSB), a deputada federal Christiane Yared (PL), e o deputado federal Luizão Goulart (Republicanos).

O que pode derrotar Greca? Só ele mesmo, dizem políticos, estrategistas e marqueteiros estacionados no Centro Cívico. Um declaração adversa, uma frase mal posta, uma denúncia grave. É isso que seus opositores esperam encontrar.

É verdade que as circunstâncias ajudam o prefeito. A começar pela Pandemia, que imobilizou os candidatos que se veem quase limitados a campanha na internet, enquanto que o prefeito está permanentemente em atividade na mídia. A máquina também pesa, e muito, a favor do prefeito.

De acordo com a Resolução-TSE nº. 23.600/2019, essa pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o nº PR- 04183/2020.

Médicos sem Fronteiras