Paraná

Paraná estima produzir vacina no segundo semestre de 2021, mas diz que pode importar

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) estima iniciar a produção local da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Rússia no segundo semestre de 2021, após assinatura de um memorando de entendimento entre as partes nesta quarta-feira, mas doses da vacina podem ser importadas antes disso caso o imunizante seja aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), disse o diretor-presidente do instituto, Jorge Callado. As informações são da Reuters.

O memorando de entendimento entre o governo paranaense e representantes do governo russo foi assinado nesta quarta, um dia depois de a vacina russa ganhar as manchetes depois de ser aprovada pelas autoridades do país como a primeira do mundo para aplicação contra a Covid-19.

Callado afirmou, em entrevista coletiva virtual, que o Estado agora formará uma força-tarefa para receber os dados dos testes inicias de Fases 1 e 2 da vacina na Rússia, e que aguardará esses dados e informações adicionais sobre a Fase 3, que estaria em andamento atualmente no país, antes de dar os próximos passos.

Ele acrescentou que o Paraná também participará de testes da Fase 3 da vacina russa, desde que sejam aprovados pela Anvisa. Nenhum pedido foi enviado à agência até o momento, acrescentou, uma vez que as tratativas ainda estão na fase inicial.

Médicos sem Fronteiras