São José dos Pinhais

Vagas com salários milionários, prefeito R$ 28.261,27, secretários 14.130,63 e para vereador R$ 13.512,53

O prefeito de São José dos Pinhais, Toninho da Farmácia, tem, em seus vencimentos, 3% acima do prefeito de Curitiba, Rafael Greca. Toninho recebe R$ 28.261,27 e Greca 27.495,43.

No caso dos secretários, enquanto em São José dos Pinhais o pagamento é de R$ 14.130,63, aos secretários da Capital é pago R$ 18.281,10. Curitiba tem 25 secretárias e órgãos com status de secretaria. São José dos Pinhais possui 20 secretarias.

São José dos Pinhais tem mais de 320 mil habitantes e Curitiba mais de 1,7 milhão. Na eleição de 2016, três nomes concorreram ao cargo de prefeito de São José dos Pinhais e mais de 400 nomes ao cargo de vereador.

Vereador de São José dos Pinhais, proporcionalmente, ganha mais que em Curitiba

São José dos Pinhais tem 21 cadeiras no legislativo são-joseense, onde presidente da casa recebe R$ 20.268,82 e vereador R$ 13.512,53. No legislativo curitibano são 38 cadeiras, onde o presidente recebe R$ 18.991,00 e vereador R$ 15.594,73. A diferença no salário dos vereadores locais é de R$ 2.082,2 (15% a menos). Uma curiosidade, é que o valor do presidente na Capital é 7% menor do que do presidente da Casa de Leis de São José dos Pinhais.

Cada vereador da Câmara de São José dos Pinhais representa uma relação de um eleito para 15 mil pessoas (320 mil habitantes em 42 bairros), e no caso da Câmara de Curitiba a relação é de um eleito para 46 mil pessoas (1.7 milhão de habitantes em 75 bairros).

ELEIÇÕES 2020

A partir de 11 de agosto: As emissoras de rádio e televisão ficam proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato. 

15 de agosto: Prazo para servidores públicos que vão concorrer se desincompatibilizar. 

31 de agosto a 16 de setembro: Realização das convenções partidárias para definição de coligação e escolha dos candidatos. As convenções poderão ser por meio virtual. 

26 de setembro: Último dia para registro das candidaturas; início do prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e emissoras de rádio e TV para elaboração do plano de mídia. 

Após 26 de setembro: Início da propaganda eleitoral, inclusive na internet. 

9 de outubro: Início da propaganda gratuita em rádio e televisão.

27 de outubro: Divulgação de relatórios pelos partidos, coligações e candidatos discriminando os recursos recebidos do Fundo Partidário, do Fundo Especial de Financiamento de Campanha e outras fontes, bem como os gastos realizados. 

15 de novembro: 1º turno das eleições 

29 de novembro: 2º turno das eleições 

Até 15 de dezembro: Encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas das campanhas dos candidatos.

18 de dezembro: Prazo final para diplomação dos candidatos eleitos, salvo nos casos em que as eleições ainda não tiverem sido realizadas.

*com informações do pautasjp.com

Médicos sem Fronteiras