São José dos Pinhais
16/02/2019 10:29
São José dos Pinhais

Vacinas contra Febre Amarela estão disponíveis em Unidades Básicas de Saúde

Compartilhar artigo no facebook Compartilhar artigo no twitter Compartilhar artigo no WhatsApp ↑ Topo

Devido à morte de cinco macacos no município de Antonina pelo vírus da Febre Amarela, e pela confirmação do primeiro caso da doença em humanos no Estado do Paraná, a Secretaria de Saúde de São José dos Pinhais está disponibilizando em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) as vacinas contra a Febre Amarela. 

Segundo o Departamento de Promoção e Vigilância em Saúde da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, a população nunca vacinada com idade entre 9 meses e 59 anos poderão comparecer às UBS com suas carteirinhas de vacinação e documentos pessoais, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h, para receber a dose única da vacina contra a Febre Amarela. Pessoas já vacinadas devem levar a carteirinha de vacinação para atualização no sistema.

Dia D de Vacinação

No dia 16 de fevereiro deste ano, as Unidades Básicas de Saúde estarão intensificando as vacinas para Febre Amarela. O dia D de Vacinação acontecerá no período das 8h30 às 16h.

A Febre Amarela

O que é a febre amarela?

É uma doença infecciosa causada por vírus, que se manifesta por febre, dor no corpo, amarelão, fraqueza e com alto risco de morte em suas formas graves. Na forma silvestre, o vetor (mosquito) é o Haemagogus e o Sabethes. Eles são encontrados em áreas silvestres e de mata. Já na febre amarela urbana, a doença é transmitida pelo Aedes aegypti e Albopictus. Daí a grande importância de controle desse vetor, pois além da dengue, zika e chikungunya, também pode transmitir a febre amarela.

Qual o papel dos macacos na transmissão da febre amarela?

Os macacos não transmitem a febre amarela. Adoecem e morrem da mesma forma que os humanos. Por isso, a morte de macacos é um sinalizador da presença do vírus na região.

Quais os sintomas da febre amarela?

Os sintomas iniciais incluem febre súbita, calafrios, dor de cabeça, dor nas costas, dor no corpo, náuseas, vômitos e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após os sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% dos casos apresenta um breve período de melhora e, então, desenvolvem uma nova fase mais grave da doença. Nesses casos, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.  

Médicos Sem Fronteiras