São José dos Pinhais
26/03/2019 07:21
Brasil

Michelle, a rainha do Google e o desprezo das feministas

Compartilhar artigo no facebook Compartilhar artigo no twitter Compartilhar artigo no WhatsApp ↑ Topo

Durante a posse do marido, o nome de Michelle Bolsonaro cresceu 5.000% nas buscas do Google. O que os internautas queriam saber? Idade, signo, profissão, se é surda e por aí vai.

Grupos organizados da web que interagiram pouco a respeito de Michelle foram os das feministas. Alguns comentaram, de forma discreta, sobre o ineditismo do discurso da primeira-dama e sobre inclusão. Outros, trataram como marketing. Outros simplesmente desprezaram.

E o que isso quer dizer? Para os grupos que se fecham neles mesmos, não importa o que se fala, mas quem fala – se for da turma, tudo bem; caso contrário, o desprezo.

Médicos Sem Fronteiras