Esporte

Vadão satisfeito com evolução atleticana

Apesar da derrota de sábado por 2 a 1 para o Corinthians, que não vencia há oito rodadas, o técnico Oswaldo Alvarez afirmou que o Atlético melhorou em relação à vitória sobre o Flamengo e ao período que antecedeu sua chegada.


“Mesmo que você perca, quando se nota evolução a chance para o próximo jogo é maior. Temos de melhorar muito ainda, principalmente falando do primeiro tempo, quando demos bastante. Já no segundo foi outro jogo“, analisou Vadão.


No entanto, ele não considerou o resultado injusto. “No período em que o Corinthians jogou melhor, fez a parte dele. Nós não conseguimos fazer a nossa mesmo sendo superiores depois“, explicou.


Os jogadores pensam diferente. “O resultado não diz o que foi o jogo no segundo tempo. Tivemos mais posse de bola e conseguimos empurrar o Corinthians para o campo de defesa“, defendeu o zagueiro Danilo. “Nossa equipe foi guerreira. O Corinthians entrou com uma motivação que não era deste mundo e encaramos de frente. Pena foram os dois vacilos no início, mas pelo que criamos na segunda etapa o mais justo seria o empate“, acrescentou o goleiro Cléber.


Não foi apenas ele que lamentou as duas falhas que resultaram na virada corintiana logo aos dez minutos. “Nunca podemos dar o contra-ataque. Também não dá para deixar cruzar daquele jeito“, disse Danilo.


Vadão elogiou bastante o zagueiro Alex, escolhido para fazer a marcação individual sobre Tevez, apesar de o argentino ter cabeceado sozinho quando marcou o gol de empate corintiano. “Gostei muito. O Tevez não jogou mal, mas também não criou grandes jogadas. O Alex está de parabéns, preparado para marcar qualquer um“, garantiu.


O treinador também aproveitou para reclamar do árbitro na expulsão de Jancarlos aos 28 minutos do segundo tempo, depois de um pontapé em Tevez. “Antes desse lance o Marcus Vinícius deu um carrinho com as duas pernas, uma tesoura, no Dagoberto e não levou nem amarelo. Com um menos, perdermos força e ficou muito mais difícil“, lamentou.


Nícolas França

Médicos sem Fronteiras