Mundo

Suspeitos em plano para explodir aviões encontraram-se com membro da Al-Qaeda

Agentes da inteligência paquistanesa prenderam sete pessoas suspeitas de envolvimento com o suposto plano para derrubar jatos comerciais em pleno vôo, desmantelado na quinta-feira pela polícia do Reino Unido, e disseram que há uma conexão da Al-Qaeda no caso. Entre os detidos pelas autoridades paquistanesas, dois seriam cidadãos britânicos.


A informação parece confirmar uma reportagem publicada no site da rede de TV americana CNN, segundo a qual funcionários ingleses e americanos informaram que o paquistanês Matiur Rehman – descrito como um perito em explosivos e que está em liberdade – teria se encontrado com dois dos suspeitos de envolvimento no plano britânico. Ainda segundo a emissora, os funcionários, que ainda investigam a participação da Al-Qaeda no plano, não sabem se Rehman teve participação no plano.


Em pronunciamento, o ministro do Interior paquistanês, Aftab Khan Sherpao, disse que as prisões foram feitas a partir de informações repassadas pelos serviços secretos britânicos. O ministro afirmou também que as detenções no Paquistão desencadearam as prisões realizadas na Grã-Bretanha na noite do dia 9 e madrugada do dia 10.


Sherpao classificou o britânico Rashid Rauf como um “membro chave“ do grupo preso no Paquistão. Segundo ele, Rauf possui ligações com a Al-Qaeda.


“Nós o prendemos em uma área de fronteira e compartilhamos a informação com as autoridades britânicas, o que levou as prisões posteriores“.


 

Médicos sem Fronteiras