Paraná

De Olho nos jornais

HAJA OTIMISMO!?


São tantos os escândalos, que não é fácil ser otimista com um barulho desses. É operação isso, operação aquilo -, um nunca acabar de roubalheira. Como já dissemos: não é molesa ser otimista. Às vezes dá vontade de mandar tudo para o inferno. Aqueles que ganham para nos proteger são os primeiros a desrespeitar a lei. Descobriu-se agora, que dos vários implicados nos escândalos dos sanguessugas – e não são poucos – são candidatos. A tal CPI das ambulâncias está praticamente parada. Os auditores (coitados), não conseguem encontrar os implicados. Dizem que é por causa das eleições… Os moços acham-se ocupados com a campanha, e, não encontram tempo para perder prestando depoimento. Mas, a esperança é a ultima que morre. Diz um ditado
árabe: é melhor acender uma vela, do que amaldiçoar a escuridão.


BURRADA.


O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo deve ter apanhado em casa, na última segunda-feira, por ter criticado duramente o governador Roberto Requião. O problema é que vários membros do PMDB, inclusive o próprio governador, vinham sendo simpáticos a candidatura, da esposa do ministro: Gleisi Hoffmann, e, prometendo apóia-la, na sua pretensão a uma cadeira no senado. Esse desejo: foi por água abaixo com as críticas do ministro Paulo Bernardo. Seria o caso de dizer: felizes no lar, infelizes na política pública?


IGREJA REAGE


D. Geraldo Magela presidente da CNBB pegou pesado contra o governo do presidente Lula. Disse: “ele abandonou as mudanças“. Criticou o presidente pelo fato de haver trocado as reformas, pela opção do Planalto de privilegiar o capital. Afirmou que “a preocupação com a economia deixou para trás o que era mais importante“, que “o projeto de transformação foi substituído pelo projeto de poder“, tornou a repetir“ não se pode só privilegiar o capital, o dinheiro. Tem de privilegiar o trabalho, o trabalho humano, o trabalho digno, e o trabalho para todos“, acrescentou.


MODORRA


O analista de política vem afirmando a campanha eleitoral está “muito chocha“. Que a mesma está polarizada, em torno de Roberto Requião e Osmar Dias, que os outros candidatos são apenas satélites, dos astros principais. Que faltam partidos ideologicamente definidos, e, modernamente concebidos. Que, isso se demonstra até pelo fato de , às vésperas das eleições, os onze deputados candidatos ao governo do Paraná, ainda não apresentaram mais nada, há não ser, lugares comuns, no lugar de programas de governo. Que, o pecado não está no excesso de candidaturas, e, no despreparo visível dos candidatos. Que, o pecado está na salada ideológica,  implicando na falta de objetivo, além da obstinada ambição pelo poder. O que comentar? É isso aí…



“A informação que temos não é a que desejamos. A informação que desejamos não é a que precisamos. A informação que precisamos não está disponível“.


John Peers, escritor


Fernando Horilka. E-mail:fernandohorilka@ig.com.br

Médicos sem Fronteiras