Esporte

A clínica de reabilitação do “professor“ Bonamigo

A ascensão do Coritiba na Série B pode ser contada pela recuperação de cinco jogadores. Renegados ou mal aproveitados pelo ex-técnico Estevam Soares, Ricardinho, Márcio Egídio, Jackson, Anderson Gomes e Jefferson deram a volta por cima com Paulo Bonamigo. O quinteto se tornou a base da equipe vice-líder da Segundona, com 29 pontos, um a menos que o Avaí.


A transformação mais significativa aconteceu com Ricardinho. Cobiçado por Palmeiras e Santos no início do ano, o lateral-esquerdo virou reserva de Fabinho e chegou a ser afastado por Estevam “para recuperar a forma física“.


 
“Sempre é bom trabalhar com quem confia em você. O Bonamigo me deu confiança, me motivou a jogar a mais“, disse o prata da casa, autor dos dois gols na vitória por 2 a 1 sobre o São Raimundo, justamente no dia em que reconquistou a titularidade. Concidentemente, a partida marcou a reestréia de Bonamigo no Coxa.


“O grupo também ajudou na minha recuperação. Eles não me deixaram desanimar“, completou o ala, substituto de Adriano, negociado no ano passado com o Sevilla-ESP.


O centroavante Jefferson foi outro jogador que ressuscitou pelas mãos de Bonamigo. Autor de três gols nas últimas três rodadas, o jogador venceu temporariamente a disputa com Alberto e William pela camisa 9. “Minha titularidade foi construída com o tempo, com muito trabalho. Hoje eu me sinto melhor, com mais ritmo e confiança para ajudar o Coritiba“, afirmou o atacante, ontem, durante o embarque para a partida de amanhã, às 20h30, contra o Atlético-MG, no Mineirão.


“O grupo todo melhorou. Independentemente de estar jogando ou não, um procura ajudar o outro“, acrescentou o volante Márcio Egídio, efetivado como terceiro zagueiro no esquema alviverde, antes de ser interrompido pelo grito de Ricardinho chamando-o de patrão. “Patrão é o…“, brincou, no caminho para ônibus que levou a delegação ao aeroporto Afonso Pena.


Anderson Gomes


Já a boa fase de Anderson Gomes, artilheiro do Coxa no campeonato com cinco gols, só foi quebrada por uma contusão no joelho direito. Vetado do jogo com o Galo, o atacante também ficará de fora dos duelos contra Gama e Avaí.


“A lesão dele é um pouco mais complicada, típica em atletas de velocidade, de arranque. É como se um dos tendões do joelho dele esticasse. Acredito que ele só voltará no segundo turno“, explicou o médico do clube Walmir Sampaio.


Carlos Eduardo Vicelli


 


 

Médicos sem Fronteiras