Esporte

No contra-ataque, Paraná constrói fama de visitante indesejado

Arma mais eficaz do Paraná neste Brasileiro, o contra-ataque é a aposta tricolor para superar o Palmeiras amanhã, em São Paulo, e manter a fama de visitante indesejado que adquiriu na competição. Em seis partidas fora de casa, os comandados de Caio Júnior possuem um aproveitamento de 55,5%, inferior apenas ao do Internacional (66,6%). O jogo traiçoeiro na casa do adversário se consolidou nas últimas três partidas fora, em que o Tricolor venceu a Ponte Preta, o Goiás e o Flamengo.


A performance paranista como forasteiro gerou um desequilíbrio curioso no número de gols do time da Vila. A equipe marcou mais vezes fora de casa (13 gols) do que quando mandou seus jogos (12).


“São vários fatores que fazem a gente jogar bem fora de casa, mas se fosse para escolher um ponto principal sem dúvida é a força do nosso contragolpe“, reconhece o técnico Caio Júnior.


As três partidas vencidas pelos paranistas fora do estado se encaixam na atual seqüência de seis triunfos seguidos – a maior da história do clube em Brasileiros.


Antes da Copa do Mundo, o 5 a 2 sobre a Ponte Preta e o 2 a 1 contra o Goiás foram tão incontestáveis quanto o 4 a 1 sobre o Flamengo após o Mundial.


“Quando jogamos em um campo bom, roubamos a bola e temos tranqüilidade para tocar rápido e chegar com força à área adversária“, diz Caio, que quer os três duelos citados acima como espelho para amanhã. “Assisti novamente ao jogo contra o Flamengo e vi que temos de atuar da mesma forma“, garante.


Trio é o segredo


O início dos bons resultados fora coincide com o retorno do trio Leonardo, Maicosuel e Sandro ao time (desde o confronto com a Ponte). Entretanto, com a torção do tornozelo direito de Sandro há três rodadas, mais um volante foi colocado na formação e só há espaço para dois nomes da trinca na escalação inicial – Sandro estará de volta amanhã, mas fica no banco.


“Nosso time é assim. Sem a bola todo mundo marca e com a bola todo mundo joga“, explica o meia Batista. O ex-jogador da Adap terá a companhia de Beto e Serginho no setor de marcação do meio-de-campo, já que Goiano sentiu uma lesão no púbis e fica afastado por 40 dias.


Robson De Lazzari

Médicos sem Fronteiras