Paraná

De olho nos jornais

A PRIMEIRA PISTA foi a licitação para compra de um ônibus pela prefeitura de Coronel Vivida, em 2003, deixou rastros sobre como agiam os sanguessugas. Cartas com propostas de três empresas diferentes (todas envolvidas na máfia dos fraudadores) eram idênticas, inclusive nos erros. Só os preços eram diferentes.


COMENTA-SE que talvez na próxima semana o inquérito sobre os sanguessugas seja concluído. Se não virar pizza: haverá cassação em massa: como nunca na história política do Brasil e no mundo.


PAULEIRA POLÍTICA, ao rebater as críticas do Governador Roberto Requião sobre a falta de apoio dos representantes paranaenses no senado. Osmar Dias afirmou em alto e bom som: ”durante todo o governo nunca fui chamado para conversas sérias pelo governador”.


ECOS DE CAMPANHA. O candidato a governador Rubens Bueno do PPS está propondo em seu plano de governo uma zona franca em Foz do Iguaçu. A idéia é uma cópia do bem sucedido exemplo da capital do Amazonas. Já houve outras tentativas de   implantação da proposta no Paraná. Não prosperaram, informam os analistas políticos…


PARLAMENTARES VOLTAM DE FÉRIAS. Na pauta da Assembléia Legislativa, o tema mais importante do período de eleições deve ser a mensagem enviada pelo governador, que aumenta de 25% para 30% o percentual obrigatório dos recursos do orçamento do estado na educação. Já a discussão do orçamento que será gerido pelo próximo governador, será feita em dezembro. Depois do pleito.


HERMAS BRANDÃO: presidente da Assembléia Legislativa, informa que não vai se licenciar do cargo: ”acompanharei a agenda de Requião nos dias que não houver sessões”, justificou.


”Quando me perguntam: qual é o significado do poema? Respondo: Qual foi a intenção de Deus ao criar o mundo?” (Mario Quintana)


Fernando Horilka. E-mail:fernandohorilka@ig.com.br

Médicos sem Fronteiras