São José dos Pinhais
26/05/2018 07:28
São José dos Pinhais

Usuários do transporte coletivo que usam cartão de passagem gratuito, podem perder benefício

Compartilhar artigo no facebook Compartilhar artigo no twitter Compartilhar artigo no WhatsApp ↑ Topo

De janeiro a março deste ano foram 70 mil fraudes de pessoas que utilizam indevidamente o cartão gratuito Vem de parentes ou terceiros que são beneficiados. Na imagem, flagrante da inspeção por câmera interna em ônibus, onde na foto à esquerda aparece o titular do cartão com gratuidade e à direita o passageiro que esta utilizando o cartão (Imagem: Divulgação)

O transporte coletivo municipal de São José dos Pinhais finalizou no mês passado a implantação de uma nova tecnologia para aumentar o controle na operação do serviço das gratuidades do sistema. A partir deste mês de abril, pessoas que concedem o uso de seu cartão a parentes ou terceiros podem ter o benefício cancelado. Em média são 23 mil fraudes/mês flagradas pelo sistema de fiscalização implantado nos ônibus de transporte coletivo do Município.

“Desde o inicio da implantação do novo sistema já passaram pela conferência eletrônica na fase de pré-operação 460 mil usuários nos meses de janeiro até março de 2018 e o sistema identificou, aproximadamente, 70 mil usuários não compatíveis com os dados biométricos faciais cadastrados. Estamos informando à população que não deixe outra pessoa se passar por você, senão será você quem não poderá mais passar gratuitamente”, disse Dante Franceschi Filho, gerente de Novos Projetos do VEM de São José dos Pinhais.

A média mensal de passageiros transportados dentro do Município nos últimos 12 meses foi de 1,4 milhão de usuários e, dentre esses, existe dois tipos distintos de passageiros que tem gratuidade: 1) gratuidade total (cartões Sênior / Especial / e outros isentos): nunca pagam nada para usar o sistema e representam 12% dos passageiros totais; 2) gratuidade integração: pagam a primeira passagem e a segunda é gratuita e representam  18% dos passageiros totais. Havia no sistema por mês 121.000 mil passageiros gratuitos em 2013 e este número saltou para 163.000 mil/mês no ano de 2017. Nos últimos cinco anos houve um aumento das utilizações de passageiros com gratuidade total em 35%.

Pela lei municipal 1175/2008, capitulo IV, art 5º, o usuário do cartão VEM modalidades Senior, Especial, Estudante e Operador que conceder a utilização do benefício a outra pessoa terá o cartão bloqueado e sofrerá penalidades como o pagamento de multa ou até mesmo perda total do direito à gratuidade.

A Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito vem acompanhando a implantação e recebeu relatórios que apontam as fraudes geradas pelos usuários que cedem seus cartões a terceiros. Avisos foram colocados nos ônibus, reforçando que somente o titular do cartão pode usar gratuitamente o serviço e que a partir deste mês de abril iniciarão os bloqueios.

O aumento de gratuidades no sistema impacta todos os demais usuários pagantes, pois quanto maior o número de usuários gratuitos, maior fica o valor de rateio do custo do transporte da cidade entre os usuários pagantes.

Sobre o sistema de identificação de fraudes

O equipamento é uma câmera de alta definição que esta instalada em todos os ônibus das linhas urbanas e fotografa todos os usuários que tem gratuidade. As imagens são transferidas diariamente dos ônibus para a central de controle do VEM e lá, eletronicamente, é feita uma comparação das fotos tiradas dentro do ônibus com as fotos do usuário cadastrado para usar o transporte gratuitamente. A comparação é feita através da técnica de biometria facial de alta confiabilidade e usada em mais e 100 cidades.

Nesta primeira fase do projeto, apenas passageiros com gratuidade total passarão pela conferência eletrônica / biométrica e caso seja detectado o mau uso de tal beneficio o cartão será bloqueado.

Com a bilhetagem eletrônica, os usuários que tem gratuidade total no transporte precisam se cadastrar no sistema e neste cadastro é feita uma foto do usuário. Esta foto vai originar medidas biométricas da face do passageiro, aos mesmos moldes de fotos feitas para documentos oficias (RG/Passaporte/etc). Com os recursos de medida eletrônica da face é possível identificar com a comparação de alta definição de outra foto se é ou não o usuário cadastrado.

Médicos Sem Fronteiras