São José dos Pinhais
19/09/2017 04:53
São José dos Pinhais

Atendimento no UPA

Compartilhar artigo no facebook Compartilhar artigo no twitter Compartilhar artigo no WhatsApp ↑ Topo

Protocolo de Manchester: “É efetivo e ajuda a definir as prioridades de atendimento”, afirma coordenadora

Implantado em 2015 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São José dos Pinhais, o Protocolo de Manchester tem como objetivo organizar os atendimentos que são realizados na Urgência e Emergência do Município. “Esse método é efetivo e ajuda a definir as prioridades de atendimento”, afirma a Coordenadora da UPA Afonso Pena, Claudiana Litaver Kozan, que está na administração da Unidade desde 2014.

O processo de classificação de cores é feito na triagem — que é feito com base nos sinais e sintomas relatados do paciente. A classificação das cinco cores que compõem o Protocolo de Manchester estabelece uma ordem de atendimento do que é mais urgente, ou seja, que tem risco iminente a morte até atendimento básico, de não agravo.  Ou seja, na triagem é definido a gravidade do quadro e também o tempo de espera para o atendimento, que é realizado com mais eficiência; além de o paciente poder ser encaminhado para outras unidades médicas do Município.

O atendimento é classificado através das cores:

  • Vermelha (emergência) — representa um atendimento de emergência que deve ser feito imediatamente;
  • Laranja (muito urgente) —prevê  que o atendimento seja realizado o mais rápido possível;
  • Amarelo (o paciente precisa de avaliação) — nesses casos, o atendimento não é considerado emergência já que possui condições clínicas para aguardar;
  • Verde (pouco urgente) — é o caso menos grave, que exige atendimento médico, mas que pode ser realizado no consultório médico ambulatorialmente;
  • Azul (não urgente) — nesses casos, não há urgência no atendimento. Assim como nos casos classificados com verde, os pacientes podem ser encaminhados para atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Município já que não apresentam risco de morte.

Para Claudiana, “o acolhimento através do Protocolo de Manchester é mais que simplesmente organização, é uma estratificação de risco para a realização de um serviço resolutivo e seguro”. Prova disso são as transferências de transporte aéreo realizadas. Nesta semana, por exemplo, um paciente jovem chegou a UPA e imediatamente foi identificado como uma emergência: um possível AVC. Rapidamente, ele foi classificado como vermelho e a equipe acionou a Regulação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que transferiu o paciente para o Hospital do Rocio, em Campo Largo da Piedade, em menos de uma hora, aumentando, assim, as chances de sobrevida.

“O Protocolo de Manchester é um atendimento acolhedor, e isso melhora o atendimento e, consequentemente, a satisfação da comunidade no atendimento do sistema de urgência e emergência do Município”, afirma o secretário de Saúde de São José dos Pinhais, Giovani de Souza.

Protocolo de Manchester — esse procedimento foi aplicado pela primeira vez na cidade de Manchester, na Inglaterra, em 1997. Hoje, é um dos melhores atendimentos à saúde, tanto que vários países da Europa utilizam o sistema de forma praticamente integral. São José dos Pinhais foi o primeiro Município da Região Metropolitana de Curitiba a implantar o Sistema Manchester de Qualificação de Risco.

Médicos sem Fronteiras